Croissant & Pain au Chocolat

Pequenininha, meus pais iam buscar viennoiseries no domingo para o café da manhã. Hoje, é o esposo que acorda cedinho para ir buscar um croissant e um pain au chocolat quentinhos que acabaram de sair do forno. Por que só no domingo, Tania? Vale lembrar que o “croissant contém mais de 400 calorias. Mas nada que uma bela caminhada não resolva. Mas afinal, o que são as viennoiseries? São as delícias de massa folheada e levedura que encontrará nas padarias francesas: croissant, pain au chocolat, chausson aux pommes, pain aux raisins, brioche, chouquettes (ah, essas chouquettes, você é obrigado.a a provar! Não saia da França sem ter provado), etc. A lista é longa. Aqui na França distinguimos a viennoiserie da pâtisserie que são as tortas e bolos. Por isso, você verá nas vitrinas das padarias essas duas inscrições.

Como e onde escolher minhas viennoiseries?

Primeira dica: Escolha produtos que não perderam seu brilho. Uma boa viennoiserie tem que estar brilhante e crocante. Entrou numa padaria e as viennoiseries estão sem brilho? Pode sair!

Segunda dica: Os croissants e pains au chocolat caseiros não são todos iguais (digo à nível do formato ou do tamanho), sempre tem uma diferença – mesmo pequena – pois o padeiro é um ser humano e não uma máquina. Se todos forem iguais, significa que eles estão vendendo produtos industriais. Pode sair também!

Terceira dica: Fuja dos lugares turísticos e com certeza encontrará padarias divinas. Há alguns dias, entrei em uma chamada Chez Meunier, na Rua Saint-Denis do distrito 2, que fazia produtos orgânicos. Não me decepcionei. Aliás, o croissant é dos deuses e o que dizer das chouquettes? Macias e com essas pérolas de açúcar. OMG! A chouquette é outra perdição à base de massa polvilhada.

Quarta dica: Nossos verdadeiros croissants não tem recheio algum. Isso é uma farsa e mais uma vez as padarias que se adaptaram aos gostos dos turistas só para vender mais, geralmente não são padarias com produção caseira. Presunto e queijo dentro do seu croissant? Realmente não é um costume parisiense, mas autorizo você a cometer esse pecado!

Quinta dica: Esqueça as calorias, pois a receita do croissant leva muitaaaa, mas muita manteiga, farinha, levedura, sal, açúcar, leite, água e gema de ovo para ficar douradinho.

História do croissant na França

Introduzido, sem sucesso, na corte francesa pela rainha Maria-Antonieta em 1770, o croissant que até então era um pão com formato de meia lua, só se espalhou na França no século XIX, quando a esposa do imperador Napoleão III, Eugénie de Montijo, decidiu lançar a moda do croissant que conhecemos hoje, bem diferente do da Maria-Antonieta, já que então era preparado com massa folheada. Mas tivemos que esperar o final do século XX para ver aparecer a democratização do croissant, que antes era um produto comprado por uma certa elite, um produto caro e de luxo. Hoje em dia, o croissant, assim como a baguette, a taça de vinho e o pedaço de camembert, é um dos clichês do.a parisiense, a base para quem quer fingir ser francês por algumas horas. E para ficar bem claro, a Maria-Antonieta NUNCA declarou “se não têm pão, que comam brioches”.

OBS: Se você estiver hospedado em um hotel longe do segundo distrito, não precisa desviar do seu roteiro só para ir nesta padaria que indiquei. Existem inúmeras boulangeries deliciosas na capital francesa. Farei outro artigo sobre as melhores padarias de Paris. Mas ainda preciso provar muitas delas. Que trabalho árduo!

Deu água na boca só de falar. Seu café da manhã está servido…

Bon petit déjeuner 😉